19 de ago de 2019

Como enviar arquivos de texto direto para o Kindle

Você pode enviar arquivos de texto direto para o Kindle, usando o aplicativo Send to Kindle para PC. 

Envie arquivos PDFs, apostilas de faculdade ou de concursos para o seu aparelho seguindo o passo a passo abaixo.

12 de ago de 2019

3 boas práticas no Instagram

Boas práticas são bem conhecidas pela turma de programadores, ou pelo menos devem ser. (Se você é um, confira a série Java CRUD)

As boas práticas estão lá para "pôr ordem na casa", para o povo se comunicar melhor, facilitar a troca de informações, enfim, organizar e facilitar o trabalho. 

Para você que usa o Instagram e está se sentindo algo vai mal ou fora de controle, pode adotar boas práticas e curtir uma melhor experiência da rede social.


Uso de rede social
Photo by Katka Pavlickova on Unsplash



A ideia aqui é orientar quem sente a necessidade de direção para usar o Instagram, de forma simples e objetiva.

Veja também: Informática da morte: 69% votaram sim e adolescente deu fim à própria vida

As boas práticas só exigem de você uma decisão firme. Não são fórmulas "mágicas", apenas 3 métodos que ajudam se você seguir com persistência.


1. Adotar um horário para acessar;


Por mais que pareça uma coisa chata, que lembra compromisso marcado mas não desejado, é assim que você começa a assumir o comando da coisa.

Ter hora certa faz você aproveitar mais e melhor, porque concentra a atenção ao invés de dispersar acessando durante o dia a qualquer hora. Indico pela minha experiência e de gente que sigo por lá mesmo, como o Ícaro de Carvalho.

E se o seu caso é de ansiedade e tem dificuldade de controlar a curiosidade, a sua decisão firme pode ser no sentido de escolher um horário o mais tarde possível.


Superinteressante veio com uma notícia: o Instagram seria a rede social mais nociva à saúde mental, prejudicando o sono e autoimagem. E baseado em pesquisa de instituição de saúde pública do Reino Unido.

Rossandro Klinjey fala sobre problemas psicológicos causados pelo uso, ou melhor, abuso de redes sociais. As palestras dele podem te ajudar também.


2. Saber o que quer;


Isso faz a diferença, depois que você escolheu a hora. Se quiser curtir para valer a rede social, saber o que você quer é ouro. Reforça ainda mais a sensação de controle da situação.

Você já percebeu o quanto é fácil se distrair por lá, certo? E muitas vezes já entrou para ver uma coisa mas acabou desviando, pois uma publicação chamou muito sua atenção. 

É como quem vai no mercado comprar açúcar e acaba comprando de tudo, menos o bendito açúcar!

Como inspiração, lembre da frase do Steve Jobs: foco é dizer não.


3. Entrar em perfis do Instagram ao invés do Instagram;


Para completar, uma vez que você sabe o que quer, buscar onde você sabe que vai encontrar

Veja a comparação, por exemplo, entre quem assiste à televisão e quem assiste a um programa da televisão. Quem vê televisão vê o que estiver passando. Liga para passar tempo, passeando pelos canais.

A diferença é que na televisão, a novela tem horário certo, enquanto o conteúdo do Instagram está lá o tempo todo e você escolhe o que, quando e onde ver.

Este onde ver é importante, pois as opções são muitas. Se você quer se divertir, tem de perfis de sobra; se quer se informar, tem perfis de sobra; se quer ajuda em algum assunto, também tem de sobra. 

E aí? Qual vai ser? Aquele perfil ou aqueles que você já experimentou e viu a qualidade. Um, dois ou três que você já sabe que vai sempre encontrar coisa boa lá.

5 de ago de 2019

Informática da morte: 69% votaram sim e adolescente deu fim à própria vida.



Imagem de loveombra por Pixabay
Uma enquete no stories: Sim ou Não. Viver ou Morrer.
A notícia saiu dia 15 de maio de 2019. Adolescente de 16 anos na Malásia tomou a decisão de dar cabo da própria vida, após 69% dos seu seguidores do Instagram votarem Sim.

Isso só acontece nestes tempos de redes sociais?


Não mesmo. Isso lembra o velho circo de Roma. Quem assistiu Gladiador deve se lembrar: ao final da luta, o povo dava seu "like" ou "dislike", vida ou morte para o derrotado. Mas a decisão final era do imperador.

Nesta triste notícia foi o contrário: 69% deram o seu "joinha" a favor da morte.

Quando eu estava no ginásio, lá no início dos anos 90, uma estudante se jogou do 3ª andar do colégio. Depois soubemos que ela já estava com problemas psicológicos. Porém a turma havia gritado Pula! Pula! Pula! quando ela estava já posicionada do lado de fora da janela.

A vida não é um jogo


Quem já passou por depressão sabe o que é o desespero. Você perde o chão, não vê mais porque continuar. Os motivos são muitos. Pode ser por muito pouca coisa. Porém é uma vida que está em jogo.

Curti muito o game Mortal Kombat na adolescência, ou "aborrecência" com dizem alguns. O ponto máximo de diversão do jogo era a finalização da luta: o Fatality, ou seja, morte violenta, das mais diversas maneiras imagináveis.

Lá pelas tantas sofri a amarga experiência da depressão. Não digo que este game foi o responsável, porém deixei de jogar desde então. Sei que muitos jogam e não vêem problema algum.

A questão é a banalização da vida, ou mesmo a banalização da morte. Quem sabe os 69% que votaram Sim não levaram a sério. Achavam que era só um jogo. Lá no ginásio, a turma que incentivou a estudante a pular, não achavam que era sério.

Somos tão modernos assim?


Lá como cá, montavam toda uma superprodução para dar um pouco de diversão para a platéia. Diversão cara e passageira. A paz e a felicidade duradora não precisa de tanto. Ela está "entre os sorrisos dos familiares e amigos, em sentar a frente de suas casas com vizinhos e ter uma boa prosa por horas e horas ao fim da tarde." - como Alcenir Borges escreveu no seu blog

Desumanização na era da informação. Eu e você somos tão "modernos"? Ou somos apenas o povão sedento de sangue, como aquele do tempo do circo de Roma? Afinal, não era muito diferente: bastava acenar com um "deslike" e o "espetáculo" da morte acontecia na arena, para delírio da galera.

29 de jul de 2019

Como reduzir o tamanho de arquivos PDF on-line

Você está com dificuldade para enviar um arquivo PDF por e-mail? O problema é o tamanho? 

Descubra uma solução rápida e on-line...

22 de jul de 2019

Como converter arquivos PDF em arquivos do Word

Se você precisa converter arquivos PDF em arquivos do Word, há um jeito on-line, rápido e fácil .Veja como a seguir.